17.03.14

LDN: Hampton Court

londonSkyline

Depois de um ano e meio morando aqui, aprendi a olhar diariamente a previsão do tempo e SEMPRE programar alguma coisa quando os finais de semana prometem ser de sol. Por isso, no domingo passado, depois de seis meses na base do casaco, aproveitamos o clima de primavera (20 graus \o/ da mais pura felicidade) e fomos para Hampton Court, um dos palácios reais. Hampton Court 2

O Palácio: foi construído há cerca de 500 anos e por lá moraram o Rei Henrique VIII e todas as suas esposas (fãs da série The Tudors não podem deixar de conhecer!). Além do palácio em si, outras atrações do lugar fazem valer a visita: achei o jardim em estilo francês bem bonito e o labirinto natural é bacana também (é o mais antigo da Grã-Bretanha). Ah, dizem que o castelo é mal assombrado e que o Rei Henrique VIII e a rainha Joana Seymor ainda dão pinta por lá rs, mas, thank God, não vi nada de anormal.Hampton Court 8 Hampton Court 10 Hampton Court 7 Hampton Court 6 Hampton Court 4 Hampton Court 3 Hampton Court 15 Hampton Court 13 Hampton Court 14 Hampton Court 16

Como Chegar: um ponto super positivo desse palácio é que o acesso é muito fácil. Pegamos um trem em Waterloo e depois de quarenta minutinhos já estávamos na estação Hampton Court, que fica ao lado do palácio. Os trens saem de Waterloo a cada meia hora.

Preços: a passagem de trem até lá (ida e volta) fica em mais ou menos 10 libras e a entrada no palácio custa 18 libras.

Onde comer: saímos de lá morrendo de fome e aproveitamos para almoçar num gastropub que ficava praticamente em frente ao palácio, o The Mute Swan. Comida bem gostosa e preço super ok. Uma amiga minha também recomendou o The Albany, mas esse vai ficar para a próxima!Hampton Court 17 Hampton Court 18 Hampton Court 19 Hampton Court 20 Hampton Court 21

24.02.14

LDN: Roka e Yashin

No final do ano passado, acabei conhecendo vários restaurantes japoneses aqui em Londres e, como o pessoal que vem para cá sempre me pede indicação de japas, aqui vão algumas infos sobre os meus dois favoritos: o Yashin e o Roka.

O Yashin fica numa travessa da High Street Kensington e conhecemos através de um amigo nosso que ama comida japonesa. Eu nunca tinha ouvido falar, mas, depois, comentando com algumas pessoas, percebi que ele é bastante conhecido.

O restaurante é bem pequeno e tem aquele esquema de sushi bar (cadeiras no balcão). Olhando de fora, você não dá muita coisa para ele, principalmente porque ele fica numa rua super residencial, mas a comida é maravilhosa. Uma curiosidade sobre o Yashin é que eles não servem nada com shoyo! Inclusive, tem um letreiro luminosos atrás do balcão com a mensagem “without soy sauce”. Óbviamente, se você pedir, o garçom traz, mas a ideia é não usar. Para ser sincera, eu não senti falta do shoyo. Tudo estava super saboroso e o que eu li é que eles trabalharam elementos diferentes para criar sabores em todos os pratos. As porções são pequenas, por isso comemos várias coisas aleatórias que o garçom que nos atendeu foi sugerindo.

O minha única ressalva sobre esse restaurante é que ele fecha a cozinha às 22:00 horas, mesmo de sextas-feiras e finais de semana. Como nós fizemos reserva para às 21:00, tivemos que comer meio rápido e nem deu tempo de pedirmos sobremesa :(yashin sushi london kensingtonOutro que eu amei foi o Roka. Ele é bem diferente do Yashin… É mais badaladinho, super bonito por dentro, com musiquinha de fundo, enfim, é um outro tipo de japonês. Quando jantei no Roka pela primeira vez, tinha ido comemorar uma data especial, então eu e o marido nos demos ao luxo de pegar o menu degustação (13 pratos hehehe), que custa umas 70 libras. É caro? Sim, mas vale a pena, principalmente considerando que era uma comemoração e que vem uma super variedade de pratos, inclusive sobremesas maravilhosas. Das outras vezes, pegamos o menu normal e aí saiu beeem mais barato. roka london charlotte st

Uma curiosidade sobre o Roka: ele é do mesmo grupo do super famoso Zuma e, inclusive, acho o menu dos dois meio parecidos.

Ah, como quase todos os restaurantes por aqui, melhor não arriscar ir sem reserva!

11.12.13

LDN: Roteiro de Compras

harrodsAcho que, 80% das vezes, a primeira coisa que uma pessoa que está vindo para cá pela primeira vez me pergunta é: “Qual lugar você indica para fazer compras?”. E tá aí uma pergunta difícil de ser respondida. Londres é uma perdição (as pessoas sempre ficam espantadas com a quantidade de lojas!) e em praticamente todos os bairros mais centrais tem alguma rua para compras. Aqui vão algumas dicas:

Oxford Street ou Paraíso

Lojas: Fast Fashion e Lojas de Departamento (Selfridges é incrível; John Lewis e Debenhans são bem bacanas também)

Tem muita gente que não gosta da Oxford. Ela realmente é bem muvucada, mas acho a melhor opção quando o assunto é fast fashion. Lá, é possível encontrar Zaras (sim, tem umas três), H&Ms, a Forever 21, Mango, Bershka, Topshop, French Connection, Accessorize, Pull & Bear, Massimo Dutti, enfim, todas!

Uma loja baratésima que fica na Oxford e que muita gente ama é a Primark. Eu, particularmente, acho que só vale ir até lá se você tiver com muita paciência. A loja sempre está muito cheia e para enocntrar coisas bacanas é preciso procurar bastante.

Na Oxford também fica a Selfridges, loja de departamento bem famosa (me lembra a Bloomingdales) que vende marcas mais caras, mas que também tem uma seção low price). Algumas marcas que podem ser encontradas lá são: Maje, Sandro, All Saints, Chanel, Celine, Stella McCartney, etc

Como chegar: estações Bond Street ou Oxford Circus

Regent Street e Carnaby

Tipo de Loja: Lojas um pouco mais caras do que as da Oxford, mas, ainda assim, várias com preços acessíveis. A loja da JCrew que abriu esse mês aqui em Londres (acho que é a primeira da Europa) fica nessa rua. Lá também tem a &Other Stories, Anthropologie, Kiko, etc. A Liberty, loja que eu amo e já falei sobre neste post AQUI, também fica por ali.

Como chegar: A Regent Street é uma travessa da Oxford. O ideal é descer na estação Oxford Circus ou Picadilly Circus

Covent Garden

Tipo de Loja: Basicamente Fast Fashion e algumas um pouco mais caras.

É uma opção bem bacana para quem quer fugir da muvuca da Oxford. Tem mais ou menos as mesmas lojas (Zara, H&M, Mango, etc) e outras com um preço não tão amigo, mas ainda assim acessível, como a Reiss. Vale a pena sair da rua principal (Long Acre) e explorar as travessinhas, cheias de lojinhas locais, restaurantes e cafés.

Como chegar: estações Covent Garden ou Leicester Square

Bond Street

Tipo de Loja: Basicamente o crème  de la crème, ou seja, só lojas super high-end, como Chanel, Prada, LV, etc. Essa é uma rua bem bacana para quem está fazendo pesquisa de moda ou simplesmente quer ver vitrines bacanas e diferentes.

Como chegar: estação Bond Street ou Green Park

Harrods, Harvey Nichols e Sloane St

Tipo de Loja: Mesmo perfil da Bond Street (high-end)

A Harrods todo mundo já ouviu falar. É um dos símbolos da cidade, inclusive. Já a Harvey Nichols (mesmo estilo da Harrods, mas não tão pomposa rs) não é tão conhecida e é uma loja incrível! As pessoas costumam dizer que é um dos “segredos bem guardados” da cidade. As vitrines são sempre maravilhosas e é o melhor lugar para comprar óculos de sol. Várias marcas diferentes e todos disponíveis para experimentar (não tem aquela chatice de ter que pedir para tirarem das vitrines os óculos mais caros). Tanto a Harrod’s quanto a Harvey ficam na mesma rua: a Brompton Road. Por ali, também tem uma loja gigaaante da Burberry.

A Sloane Street é uma travessa da Brompton Road. Por ali, apenas lojas carésimas: Chanel, Pucci, Prada, Bottega, Fendi, etc.

Como chegar: estação Knightsbridge

Outros lugares

Para achadinhos e antiguidades: Notting Hill e arredores

Para brechós e lojas de disco: Brick Lane e Shoreditch

Outlet: Bicester Village. Ainda não fui até lá (confesso que morro de preguiça porque ele fica meio afastado da cidade), mas pretendo ir em breve e aí conto detalhes por aqui.

That’s all! Esse é um tópico bem difícil de responder sucintamente porque a cidade é cheia de tentações.