11.04.15

Trip Tips: Malta

Durante a Páscoa, aproveitamos que por aqui é feriado na sexta e na segunda, e fomos conhecer um país novo: Malta, uma ilha minúscula que fica perto da Sicília, entre a Europa e a África. Decidimos ir para lá depois de lermos uma reportagem sobre os locais de filmagens de Game Of Thrones. Eu fiquei viciada total nessa série no final do ano passado (tanto que vi as quatro temporadas em algumas semanas rs), comecei a ler tudo o que sai sobre ela e, numa dessas leituras, encontrei essa reportagem que falava de Malta. Dei aquele Google Images básico e, na mesma hora, já bateu aquela vontade enorme de conhecer.Malta 47

Como Chegar: saindo daqui de Londres, são três horinhas de voo até lá. Fomos de Malta Airlines (saindo de Heathrow) e voltamos de Ryanair (pelo aeroporto de Luton).

O Que Fazer: como ficamos três dias e meio por lá, procurei um roteiro de três dias em alguns blogs de viagem e encontrei encontrei um muuuito bom nesse site AQUI. Acabamos fazendo basicamente a sequência proposta nele. Uma dica valiosa é alugar um carro por lá. Nós não alugamos porque não sabíamos que tudo era longe, então acho que teria valido super a pena ter pego um carro logo no primeiro dia.

Dia 1 – Valletta & Sliema / St Julians

A capital, Valletta, é provavelmente o lugar mais óbvio para começar. Com toda a cidade declarada Patrimônio Mundial da UNESCO, andar pelas ruas é como andar por um museu a céu aberto.
Vale a pena caminhar pela Rua República até a St John’s Cathedral, uma das igrejas mais bonitas que eu já vi, com o seu interior todo dourado e o chão de mármore. Saindo da Catedral, fomos para o mercado ao ar livre na Rua Merchants.
Depois disso, fomos para o Barrakka Gardens, um lugar maravilhoso com uma vista de cair o queixo.
Na parte da tarde, vale a pena pegar um ferry de Marsamxett para Sliema, hotspot mais moderna de Malta para fazer compras e conhecer alguns cafés. Várias viagens e passeios partem daqui, incluindo o hop on hop off Malta Sightseeing Tours e vários cruzeiros. Outro passeio que vale a pena é para Three Cities. O porto de lá é lindo!
À noite, fomos jantar em St Julians, um bairro mais boêmio, cheio de bares e restaurantes. Comemos no Peperoncino e eu achei a comida de lá muuuito boa.

Malta 1 Malta 2 Malta 3 Malta 4 Malta 7 Malta 10 Malta 14 Malta 15 Malta 18 Malta 22SONY DSCMalta 23 sliema

Dia 2 – Gozo

No nosso segundo dia, fomos para Gozo, uma ilha que fica pertinho de Malta. Fomos para Cirkewwa bem cedinho (é uma cidadezinha que fica do lado oposto da ilha) e pegamos um ferry que passava pela ilha de Comino, onde conhecemos a Lagoa Azul e depois fomos para o Porto de Mgarr, em Gozo. Chegando lá, pegamos um ônibus para a capital de Gozo, Victoria, ou Rabat, como é mais conhecida pelos moradores.
Na praça principal de Victoria há um mercado diário de venda de todos os tipos de coisas. O lugar também é cercado de lojinhas que vendem artesanato. Saindo da praça, fomos até Cittadel, a cidade murada medieval de onde é possível ter uma vista de 360 ​​graus de toda a ilha.
Infelizmente, apesar do sol, não pegamos calor por lá, mas se o tempo tivesse permitido, teríamos ido até Ramla Bay para um mergulho. Ramla Bay é conhecida pela areia areia laranja escuro. Ali por perto também fica Dwejra com sua Janela Azure, acho que um dos pontos mais fotografados das ilhas maltesas. É realmente impressionante a beleza desse lugar e ele rende fotos incríveis!
No final do dia, pegamos o Ferry de volta para Malta e fomos jantar em Rampila, que fica em Valletta, outro restaurante que amamos e com uma área externa super romântica.

Malta 32 Malta 27 Malta 25 Malta 24

Dia 3 – Marsaxlokk & Mdina

No nosso terceiro dia, começamos cedo para termos tempo de conhecermos Marsaxlokk, uma vila de pescadores com um mercadinho/feirinha, e depois Mdina, a antiga capital de Malta.

Em Marsaxlokk é possível comprar produtos locais frescos (principalmente peixes e frutos do mar) e artesanato feito à mão, e por isso é ideal para a compra de souvenirs. Eu acabei não comprando nada, mas vi umas toalhas e jogos de mesa maravilhosos. O mercado fica em volta do porto e por isso o cenário é bem bonito, cheio de barquinhos coloridos (barcos de pesca tradicionais) de Luzzu subindo e descendo do porto de Marsaxlokk. Uma dica boa é aproveitar os peixes frescos do dia e almoçar em um dos restaurantes locais. Nós fomos no Tartarun e adoramos.
Saindo de lá, nós fomos para a Gruta Azul para fazemos um passeio de barco pelas cavernas. Também ali na área ficam os megálitos de Mnajdra e Hagar Qim, e mais abaixo na estrada ainda é Ghar Lapsi, uma caverna com duas praias rochosas onde dá para fazer mergulho (dizem que é incrível). O nosso único problema foi que, chegando lá, descobrimos que a gruta estava fechada e os barquinhos não estavam fazendo o passeio :(
Depois desse passeio furado, fomos para Mdina, a antiga capital de Malta. É uma cidadezinha linda e toda murada. Bem medieval! Vale a pena ir para lá mais no final do dia e aproveitar para jantar por ali, já que a cidade é cheia de restaurantes super charmosos.

malta 51 Malta 52

Malta 35 Malta 38 Malta 40 marsaxlokkMalta 41

Dicas de Hospedagem: Nós pegamos um desconto super bom no booking.com e ficamos no Grand Hotel Excelsior, que fica muito bem localizado, logo na entrada principal de Valletta. O hotel tem uma estrutura bem boa de SPA e restaurane, além de uma vista privilegiada.